Assessoria de Comunicação

Orquestra Jovem de Matozinhos associa cultura à inclusão social


Publicado em: 07/11/2014 18:30 | Fonte/Agência: Prefeitura Municipal de Matozinhos | Autor: Prefeitura Municipal de Matozinhos

 

O trabalho realizado pela Orquestra Jovem de Matozinhos, que é um projeto da Prefeitura Municipal em parceria com a Fundação Dirce da Silveira Figueiredo, tem se tornado referência na cidade. Iniciado em abril de 2013, atende 126 alunos, de 08 a 16 anos, que frequentam aulas de violino, viola e flauta doce em sua primeira fase. “A intenção é formar uma orquestra completa com outros instrumentos de corda como violoncelo e contrabaixo além dos de sopro como tuba, trombone, trompete, flauta transversal, clarinete, oboé e fagote”, pontuou Rosiane Fernandes da Silva, coordenadora da Fundação.

O projeto começou tímido em uma campanha feita nas escolas do município para atrair os jovens. Hoje, o comprometimento e talento dos meninos já renderam muitos convites e apresentações, dentro e fora da cidade. Entre eles, o EcoMuseu de  Capim Branco e a Matriz de Nossa Senhora do Pilar, em Nova Lima, foram palco para exposição da Orquestra Jovem de Matozinhos. Além disso, as escolas Hermelita Soares Horta, Visconde do Rio das Velhas e Meninada Alternativa também receberam apresentações, assim como a inauguração da sede da Câmara Municipal, em outubro, onde a Orquestra marcou presença.

A Subsecretária de Cultura e Turismo e Coordenadora Pedagógica do projeto, Adma Silva, salienta que Matozinhos possui talentos para todas as linguagens artísticas. “É necessário criar oportunidades para que estes se manifestem, não em uma eventual apresentação na escola, na igreja ou no próprio bairro, mas que amparados por uma formação artística por meio de cursos e profissionais capacitados, os permita realizar seu sonho como fazedores da própria arte seja como cidadão ou como profissionais”.

 

É importante destacar que a proposta do projeto visa a valorização do ser humano e a inclusão social por meio da arte, o que favorece a construção da identidade pessoal, coletiva e fortalece o vínculo familiar e comunitário por meio de ações culturais frequentes e permanentes.  “Nossa intenção é evitar que as crianças fiquem nas ruas do nosso bairro, expostas a riscos sociais bem característicos da nossa cidade. O projeto tem sido um instrumento de prevenção da marginalidade, contribuindo para a diminuição do envolvimento com drogas e melhorando o desenvolvimento cultural e educativo”, analisa Rosiane.



Os resultados têm sido observados pelos próprios alunos, como destaca Paulo Ricardo Xavier de Assis, 11, que frequentava aulas de futebol e escolheu seguir a música como atividade: “antes eu era mais nervoso e qualquer coisa me irritava, agora eu sou mais calmo. O projeto tem me ajudado na escola também, pois passei a prestar mais atenção e aqui a gente aprende a falar melhor, porque a professora ensina nas aulas do coral”. Camila Alves Gonzaga, 13, integra a Orquestra há um ano, é filha de uma professora de música e teve a influência da mãe para desenvolver o gosto musical: “minha mãe sempre me incentivou, mas eu participo do projeto porque eu gosto de música e por ela às vezes a gente demonstra o que está sentindo”.

Para os meses de novembro e dezembro estão confirmadas a participação da Orquestra Jovem de Matozinhos no Festival Regional, em Mocambeiro, 15/11, Concerto de Natal na Praça Bom Jesus, no dia 29/11 e o 1º Concerto da Orquestra Jovem, em 05/12.